Porque a DvW é normalmente leve, a maioria das pessoas não tem quaisquer problemas e o distúrbio pode permanecer sem diagnóstico por um longo período de tempo. Muitas vezes, a primeira indicação de que poderá haver um problema na coagulação do sangue surge após uma cirurgia menor, como é o caso de uma extracção dentária.

Uma vez haja a suspeita deste problema, os médicos devem solicitar análises para diagnosticar o distúrbio. A par da recolha de sangue para as análises é também pedida a história do distúrbio, quer pessoal quer familiar, que poderá fornecer pistas acerca do distúrbio hemorrágico no seu passado ou nos seus familiares.

As análises ao sangue medem o tempo que o sangue demora a coagular e os níveis dos factores da coagulação presentes, comparando-os com os valores normais (das pessoas que não apresentam o distúrbio).

O diagnóstico pode ser complicado e levar algum tempo, pois muitas pessoas com DvW têm no seu sangue níveis de factores da coagulação muito próximos do normal. A preocupação que pode surgir com a ida ao hospital e com as análises pode fazer com que os níveis aumentem. Assim, testes diferentes podem ser necessários para se obter um diagnóstico final. O diagnóstico num dos elementos da família pode muitas vezes conduzir à identificação do distúrbio num outro elemento.